Lançada revisão do meio-termo do Plano Estratégico Nacional da Resposta ao HIV e SIDA

lancamento 1Trata-se de uma revisão que irá permitir por um lado, passar em revista o grau de cumprimento dos planos, verificar os progressos alcançados, identificar as boas práticas no âmbito do HIV e SIDA e tuberculose. E, por outro, olhar para as lacunas, desafios e constrangimentos que ainda impactam negativamente a resposta nacional.

Coube ao Vice-ministro da Saúde, João Leopoldo da Costa fazer o lançamento da revisão do meio-termo do Plano Estratégico Nacional da Resposta ao HIV e da revisão final do Plano Estratégico Operacional do Programa Nacional de Controlo a Tuberculose (2014 – 2018).

Discursando na ocasião, Leopoldo da Costa explicou que o exercício de revisão dos Planos dos Programas Nacionais de HIV e SIDA da Tuberculose e Hepatites permitem avaliar e melhorar o grau de envolvimento dos vários actores da resposta.

“Estamos convictos que os resultados que advirem deste exercício, vão permitir ajustar as nossas estratégias e melhorar a resposta de modo que possamos alcançar rapidamente as metas estabelecidas”, disse.

Por seu turno, a Representante da Organização Mundial da Saúde no país, Djamila Cabral, considera que Moçambique tem condições para atingir as metas globais de eliminar o HIV e SIDA, a tuberculose e as hepatites virais até 2030.

“Este é um momento crucial porque daqui para a frente temos de fazer mais progressos e temos de acelerar o que já tem sido feito, temos de melhorar os resultados”, descreveu Djamila Cabral.

Participaram no evento, membros da sociedade civil, académicos, sector privado, sector público representantes de organizações internacionais e técnicos do SE-CNCS