CNCS e parceiros juntos na validação dos indicadores para a monitoria global da resposta ao HIV e SIDA

Teve lugar no dia 29 de Março, na sala de reuniões do CNCS, na cidade de Maputo, a reunião de validação dos indicadores para a Monitoria Global da Resposta ao SIDA 2019 (GAM – Global AIDS Monitoring – GAM) que contou com a presença de parceiros, pontos focais dos sectores público e  privado, sociedade civil e técnicos do CNCS.

Trata-se de um quadro de monitoria da Declaração Política sobre o HIV e SIDA de 2016 e pretende-se com o mesmo, monitorar as metas traçadas na Declaração Política do mesmo ano, com foco nos próximos 15 anos e na integração da resposta global ao HIV na agenda de desenvolvimento de 2030.

Principais indicadores

De acordo com dados preliminares das estimativas baseadas no modelo Spectrum, existiam até finais de 2018, cerca de 2.200.000 pessoas vivendo com o HIV. Destes, cerca de 170.000 eram crianças dos zero aos 14 anos e cerca de 2 milhões adultos.

Publication3

O gráfico acima representa a cascata de HIV, tendo em conta os objectivos traçados globalmente onde os países comprometem-se a fazer esforços para identificação de novos positivos, ou seja, mais pessoas a conhecerem o seu estado serológico, pois só assim poderão ter acesso ao serviços de cuidados e tratamento.

Do total de 2.200.000 de PVHIV, 73% conheciam o seu estado serológico e 55% estavam em tratamento antirretroviral. Os 55% das pessoas em tratamento antirretroviral representam cerca de 1.212.562, onde 1.125.642 são adultos e 86.920 crianças.

Durante o ano de 2018, dos 9.787.397 de testes realizados, 501.499 testes foram positivos para o HIV, o que representa uma positividade de 5.1%.

Moçambique está a implementar o PrEP como parte dos esforços para evitar novas infecções pelo HIV, principalmente entre populações chave. Dos 1934 pessoas que em 2018 receberam PrEP 783 são homens, 1.148 mulheres e 3 transgéneros. Os dados aqui apresentados provêm de dois pilotos do PrEP entre populações chave , actualmente em curso, em três províncias de Moçambique, nomeadamente Sofala, Tete e Zambézia.

Durante o ano de 2018 foram circuncidadas 311.891 pessoas ao nível das unidades sanitárias e unidades móveis instaladas ao longo do território nacional.

Um total de 31.440 pessoas vivendo com o HIV ou que iniciaram TARV, iniciaram também o tratamento para tuberculose.

Importa referir que os compromissos assumidos pelos países ao assinarem as declarações e, consequentemente, o progresso no alcance das metas e objectivos traçados nas declarações políticas deve ser monitorado e mensurado por meio de indicadores bem definidos. O Secretariado da Organização das Nações Unidas (ONU) deve elaborar relatórios anuais da resposta global ao HIV com base nos indicadores pré-definidos pelos países membros e que são submetidos a cada mês de Março à ONUSIDA em Genebra.